Estou buscando treinar a escrita e decidi resgatar os temas que eu não participei no Projeto Escrita Criativa. Mais um dos meus textos ficcionais…

 

O dia em  que eu…

Eu disse “o dia em que eu partir, que eu deixar essa casa, juntar minhas malas e todas as minhas tralhas, não adianta olhar pra mim e dizer que estou errada”, ele não acreditou. Se foram todas as minhas tentativas de querer mudar ou melhorar tudo que houve entre nós. Não dependia só de mim, o que fizemos de nós.

Do que adianta eu me dedicar a fazer minha parte, agradar, doar meu tempo, meu dinheiro, se ele só sabe me dizer o que precisa e nunca o que vamos fazer juntos. Provavelmente, nada. Essa relação é só atraso de vida.

Ironias da vida… aprendi com ele como ser egoísta. Aprendi “apanhando” que não bastava viver nessa pista de mão única. Bastava de criar expectativas.

Mudei de estado, nunca mais o quero ao meu lado, quero descobrir novos mundos e superar os meus limites.

Abri a porta e dei adeus ao passado. Nessa oportunidade cheia de reviravoltas, segui um novo rumo. Foi um dia marcante, o dia em que mudei minha visão de mundo, mudei minhas atitudes e descobri a minha alegria!

Surpreendentemente, eu estava sozinha. E estava bem. A vida, as vezes, é estranha. Quem explica essas ironias?

 

Para o final dos posts grande