É triste a alegria desmedida
Em fazer piada com a vida alheia
Mas nunca falar da própria vida

Imaginação fértil é como erva daninha
Aparece do nada
Domina tudo
E se acha linda
Talvez seja só no mato
E não natureza humana

Realmente
Tá ficando chato
Toda hora ter alguém reclamando
Que está sendo injustiçado
Só porque fizeram uma piadinha

Mas
Colocar alguém na linha do tiro
Metralhar
É injusto
É covardia

Pressionar alguém
Sem medir consequências
Pode levar alguém a desistir da vida
Qual é a graça nessa desgraça?

Nada de mais, pra quem?

Nada de mais
Uma mulher de shorts curto
Levar fama de vadia
Pois dizem que a aparência que determina
Quem é imoral
Quem deve ser difamado
Quem supostamente vive fora da linha

A culpa é de quem imagina
Ou de quem é rotulado?

Nada de mais
É pensar antes de falar
De agir
É deixar de ser carrasco
Com quem está no seu canto
Sem causar prejuízo
Como esse ser rotulador
O único que deveria ser rotulado
De infeliz.

Beijos de luz,
Michelle Cruz
Se a luz não iluminar seu caminho que, pelo menos, fulmine as ideias ruins.