Adoro quando começo a escrever sobre um assunto e aparecem confirmações do Universo, é divino. A vida tem mais valor!

Há dois dias, escrevi o texto Mulheres que gostam de se comparar…, falando sobre a mulher que considera fora do padrão e não consegue se libertar do vício de achar que o corpo da magrinha é melhor do que o dela.

E hoje acordei e logo li a publicação da Vogue Brasil, intitulada Modelo nos anos 90, Fabiana Saba conta da fase em que passou do manequim 34 para o 44, vale a pena a leitura! Ela conta sobre as suas experiências e mudanças durante o tempo que esteve fora dos holofotes.

Ela fez uma publicação do Instagram que é bem o que eu tenho falado, a questão de se gostar do jeito que é e nada mais. Temos que trocar experiências e não ficar valorizando a imagem física.

Não importa se é magra ou é gorda, se segue algum padrão ou não, o que importa é a #BelezaInterior. A fase é de #EmpoderamentoFeminino e a #BelezaVerdadeira só impera porque #JuntasSomosMais.

Que a revolução feminina fique marcada pela empatia e não mais pela competitividade.

Um bom dia!

Beijos de luz,
Michelle Cruz
Se a luz não iluminar o seu caminho que, pelo menos, fulmine as ideias ruins.