Exemplo todo mundo dá, basta saber se é bom ou ruim. Infelizmente, o presidente Temer tem dado péssimos exemplos do conhecimento da história das mulheres do seu país. Ser dona de casa é ser gestora do lar, se homens de antigamente poupavam dinheiro, era porque as mulheres faziam boa parte do trabalho. É preciso dar valor aos fatos e não mais aos ideais. Valorizar quem trabalha e não quem apenas diz manda.

O presidente Michel Temer é um exemplo a não ser seguido com seus discursos patriarcais e sem coerência. Ele pode ser um ótimo marido para esposa. Cada um tem a sua vontade. É preciso respeitar a opção da Marcela Temer e as demais mulheres que se moldam a ser uma mulher atrás de um homem. Só não se pode continuar acreditando que TODA mulher precisa de um homem para ser bem sucedida. Isso já não é mais uma regra.

Ultimamente, o presidente Temer tem compartilhado discursos de temer, gerando preocupação as mulheres que não vivem nos moldes patriarcais. Durante uma entrevista ao apresentador Ratinho, Temer disse que “Governos precisam passar a ter marido porque daí não vai quebrar”. E em outro momento, em uma cerimônia no Planalto, o presidente disse que “mulher tem grande participação na economia porque ninguém é mais capaz do que elas para indicar os desajustes do supermercado”.

O país precisa de mudanças. É preciso mudar a cultura opressiva à mulher. Mudar o discurso que não se encaixa a realidade. Afinal, segundo o IBGE, o número de mulheres chefes de família cresceu no país, 42% os lares brasileiros são chefiados por mulheres. As mulheres estão atuando no mercado de trabalho e estão mostrando que não precisam financeiramente de um homem para viver.

E analisando a crise referida pelo presidente nos governos, pode-se atribuir aos homens o caos social, afinal, eles quem lideram a maioria dos postos dos governos. É coerente, não é? Mais um sinal de que as mulheres que gostam de atuar nesse segmento devem buscar oportunidades na política, em nome de mudanças, discursos e ações mais justas para todos.

Na luta por justiça e apoio a mulher, desvalorizar o papel da dona de casa é apagar milhares de história bem sucedidas, mesmo que tenham sido escritas a mando de uma visão patriarcal. Ser dona de casa não é diferente de ser gestora em uma empresa. Existem grandes desafios para gerir uma casa diariamente, da mesma maneira, que qualquer pessoa tem em um trabalho com carteira assinada. E nesse caso a dona de casa está em desvantagem, o que beira o escravismo, pois não tem salário e nem reconhecimento a altura.

A ONG <a href=”http://hirukide.com/quienes-somos/&#8221; target=”_blank” rel=”nofollow”>Hirukide</a> (Federação das Grandes Famílias de Euskadi) produziu um vídeo em homenagem as mulheres que é um exemplo de como a função de Dona de Casa é importante.

Ser dona de casa é uma das posições empoderadoras para mulher sim. Se a mulher deseja estar ao lado de um homem e ser do lar, por opção, ela deve ter o mesmo reconhecimento que uma mulher que trabalha em uma empresa. Respeitar o modo de vida da outra é empoderamento. Entender o que tem por trás de cada rótulo colabora para esclarecer o que realmente é bom ou ruim.

Nas próximas eleições é a hora de decidir pelo que for melhor, analisando o que cada candidato oferece. Verificar se o discurso e ações da história do candidato coincidente. É preciso dar valor aos fatos e não mais aos ideais. Valorizar quem trabalha e não quem apenas diz que manda.

Só podemos mudar o mundo quando valorizamos o que realmente tem valor. #ficadica