O empreendedorismo é uma ação. E não apenas uma ideia do que poderia ser feito. É uma ação em busca de viabilizar um negócio, gerar renda, buscar estabilidade. É a busca em desenvolver novos negócios ou apenas sustentar uma atividade já existente.

O melhor exemplo de empreendedorismo no Brasil foram as Quitandeiras.

Foram elas as primeiras mulheres a dar passos concretos no mundo empreendedor no Brasil. Diante de um cenário realmente crítico. Os negros eram escravizados e, no decorrer da história, foram “libertados” para que tivessem a vida que quisessem. Se a condição dos negros fossem de trabalhadores diante de seus patrões – os fazendeiros da época, poderíamos dizer que a primeira crise de desemprego aconteceu naquele período. E os negros teriam sido dispensados com seus direitos, teriam uma rescisão de contrato com benefícios. E nem precisariam pagar por suas cartas de alforria. E não teríamos as dificuldades sociais e culturais, a desigualdade que temos atualmente.

Ocorreram ações desumanas e injustas. E mesmo com tantos atos descabíveis, os negros não abaixaram a cabeça e nem se acomodaram. No caso, as negras lideraram a situação. Elas fizeram o que muitos estudiosos sobre empreendedorismo questionam: Como começar um negócio do nada?

As Negras Quitandeiras começaram com uma das atividades mais valiosas no Brasil. Com o cultivo da terra que é extremamente produtiva. Um belo exemplo são as mangueiras no centro da cidade de Belém do Pará, árvores frutíferas em área urbana. É claro que não são os melhores lugares para se ter árvores como essa, causam muitos prejuízos e acidentes, mas é a prova de que nosso solo é realmente produtivo. Temos uma grande diversidade de ervas, legumes e frutos que crescem em qualquer lugar. E não apenas em áreas do interior, nas roças.

As negras saíam pelas ruas, batendo de porta em porta, vendendo os produtos que cultivavam. E assim começaram a sustentar suas famílias e suas necessidades.

E através da experiência das Quitandeiras percebemos que a crise é uma forma de abrir um negócio. A base da abertura de um negócio é a solução da necessidade de algo. No caso, a necessidade de prover o próprio sustento e a necessidade que as pessoas têm de obter um serviço ou um produto.

A maior herança de um povo é a sua história, é o seu povo. As Quitandeiras nos deixaram um grande legado.

As Quitandeiras criaram um método, que infelizmente, não estão descritos nos livros de história, mas é a grande aula de superação

Através da venda de seus produtos, as Quitandeiras solucionavam suas necessidades e de outras pessoas também. Elas cuidavam de todas as etapas do processo da produção até a venda do produtos. A atividade exercida por elas proporcionava mente e corpo saudáveis. E mais o sustento financeiro.

Hoje em dia, vamos na academia, ao invés, de caminhar até o trabalho ou aproveitar as opções de atividades físicas ao ar livre. Nossa alimentação nem sempre é a mais saudável. Elas venceram um dos maiores desafios de empreender: integrar atividades que solucionassem as dificuldades e ainda alcançassem resultados financeiramente positivos.

A alimentação dos negros era simples mas muito nutritiva, pois, consumiam o que eles plantavam. Por exemplo, a banana é fruta com valor nutricional incrível. E é possível fazer diversos pratos com a banana, entre salgados e doces. É uma fruta que pode ser cozida ainda verde, como também, consumida madura. Se bem lavada, a casca da banana pode ser aproveitada por completo.

A busca pela igualdade, entre homens e mulheres, na nossa sociedade é uma questão cultural. De romper barreiras e reconhecer a história do nosso povo. A mulher sempre esteve a frente de muitas atividades na nossa sociedade, o que sempre faltou foi o reconhecimento.

Empoderamento feminino é causa antiga no Brasil e que, felizmente, tem grandes representantes.

Que o espírito das Quitandeiras Brasileiras seja reavivado, as qualidades das mulheres polivalentes, mulheres guerreiras! Avante Quitandeiras Brasileiras da Atualidade!

 

Texto publicado primeiramente no site Obvious, na página Inconvencional – http://obviousmag.org/inconvencional/2016/08/As-Pioneiras-no-Emprendedorismo-Brasileiro.html