Um dia em silêncio parece um sacrifício. Eu pensei que seria um dia como se eu não cumprisse meu ofício. Eu me sinto obrigada a sempre falar. Eu nasci gritando, como posso passar um dia sem falar?

Logo pensei que seria uma loucura, foi apenas desespero dos primeiros minutos ao encarar um desafio. Como se ficar sem falar fosse ficar sozinho. E não foi nada disso!

Eu apenas me dei o direito de só observar e eu percebi que tudo era possível. Bastou eu querer me olhar. E silenciar o medo de me encarar.

Foi estranho no início. Ouvir, ver e não falar. Mas, foi a maneira que aprendi a me entender, a me amar.

No meu silêncio, nas primeiras horas foram realmente um suplício, até que fechei meus olhos e comecei a pensar na minha vida. E sentir o que havia a minha volta. Sentimentos reviraram meu mundo interior.

É impossível descrever o que sinto. Só tenho a certeza que, as vezes, ficar em silêncio é meu direito e dever a paz da minha alma.

Saber que eu sou uma ótima companhia a mim mesma tornou meus das muito simples ao mesmo surpreendente. Limitei a não ter expectativas, apenas viver o momento.

E são nos dias de silêncio que chega a calma ao meu tormento e descubro soluções e novos rumos para os meus sofrimentos.

Após uma tremenda chuva, de uma tempestade, há sempre a chance de um dia ensolarado. E foi depois de um dia em silêncio, só ouvindo e pensando, tive a chance de falar o que senti. E poder afirmar que não existe experiência melhor do que me ouvir. Do que im dia em silêncio. ❤

 

Quem estiver interessado em participar do Projeto Escrita Criativa participe do grupo no facebook. Todo mês é sugerido um tema para dissertar da forma que achar melhor. O objetivo é incentivar a escrita. 🙂