Eu sei que eu nasci pra amar. Eu gosto de me doar, de compartilhar. Mas, as vezes, tenho a sensação que não tomo as melhores decisões. Tenho discutido muito com meu namorado. Estou cansada de brigar e discutir por motivos insignificantes. As vezes, discussões sem uma real razão. Parece uma relação que não existe amor. É estranho!

Se bem, que a última discussão me fez pensar muito sobre um novo rumo que tenho que dar na minha vida.

Ele insisti em me dizer que sou muito “boazinha”, que confio muito nas pessoas. Que sou muito inocente. Eu já cansei de dizer que não sou inocente. Mas, percebi que estou tendo uma atitude tonta sim, não com relação as outras pessoas, mas sim, com relação a ele.

Eu não acredito nas pessoas, eu apenas dou a chance das pessoas serem o que elas realmente são, de mostrarem seu verdadeiro “eu”. Eu dou a chance das pessoas mostrarem seu melhor e pior, não sou de ficar corrigindo o tempo todo. Ninguém é perfeito! Eu não sou, então, não tenho direito de rotular pessoas por apenas um ou dois eventos que me causaram incomodo. Posso sim, de repente, me afastar de algumas pessoas. Acredito que as situações cotidianas e a falta de afinidade com algumas pessoas me separarão de quem não me acrescenta. Não preciso ficar analisando ninguém ou rotulando.

Isso me fez perceber que quem realmente acredita muito nas pessoas é ele, meu namorado, que tanto me julga! Ele olha para as pessoas, sem conviver, e rotula. Encontra erros nas pessoas, quero dizer, compara o que as pessoas fazem com o que ele faz. E tudo que é diferente acaba classificando como errado. E condena as pessoas. E todos que são diferentes ele quer mudar, quer que fiquem iguais a ele.

Eu acredito no que as pessoas fazem, nas atitudes. Ele acredita no que as pessoas dizem, em falas. As vezes, em fofocas.

E foi com essa última discussão que percebi que estamos vivendo em mundos diferentes. Não temos os mesmos parâmetros. E ele não é mais aquele cara que ele demostrou ser quando nos conhecemos. O tempo tem me mostrado um homem fútil. E que adora criticar e falar por falar.

Decidi terminar o nosso relacionamento. Expliquei tudo isso pra ele. Adivinha o que ele me disse? Que alguém deve estar me envenenando, falando alguma mentira, porque eu confio muito nas pessoas. E que minha decisão não deve ter sido só com os meus pensamentos, deve ter alguém querendo destruir nosso relacionamento. E citou o nome de várias pessoas, de amigos incomuns. Fiquei chocada!

E com a resposta dele tive a certeza que eu estava muito certa do que estava fazendo. Eu sei quem eu sou! Eu sei o que é melhor pra mim!

E outra coisa, relacionamento entre dois não dá pra ficar imaginando, vivendo de ilusões, pensando que existe um terceiro ou suposições. As coisas são o que são. E a vivência me provou o que deve ficar e o que deve ir.

Estou amadurecendo, tomando decisões duras e não me arrependo. E a regra do “Ou soma, ou some!” está valendo. Se não for pra somar eu não divido meu tempo.

Acho que estou tomada por essa história de empoderamento… rs…