Ausência

Para um ser falante o silêncio é uma penitência
Um monológo nem sempre é o melhor no palco
No momento de reflexão é até aceitável
Esses momentos são sempre inesperados, necessários
Quando bem aproveitados nos faz aceitar a situação
Quando o inesperado não é analisado, refletido
Torna-se uma situação inadimissivel

A ausência física doí e muito
Mas a ausência das palavras, dos gestos, de um sinal amoroso
Corroi, dói, destroi, é uma busca no nada
Como causar um erro irreparável, muitas vezes, inevitáveis
Que Deus perdoe a loucura humana
Que encontra problemas em tudo e todos
Ignorando a verdade do que se tem de resposta
Querendo fazer do silêncio a ausência da resposta
Se na verdade é a resposta
É preciso perceber, nas entrelinhas
O silêncio fala muito mesmo pra quem quer ouvir
Ou ver palavras…